terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Lema IELB 2014

Cartaz do Lema IELB 2014
Igreja comunica a Vida! Cristo para todos! 

 Enfoque 2014: 
Comunicando sempre: Jesus – a fonte da água viva. 
"Eu os guiarei e os levarei até as fontes de água”. Isaías 49.10 

Dr. Vilson Scholz – São Leopoldo, RS 
 – PEM-IELB 2013 

Introdução

Falar sobre água, na Bíblia, é tocar num assunto vital, tendo em vista o clima daquela região. Água, mesmo em uso metafórico, é uma imagem bem impactante, num clima semiárido. No entanto, o tema da água é atual e preocupante em todo o mundo. A Terra, como se sabe, é composta de 70% de água, mas só em torno de 2,5% disso é água doce. O Brasil é o país mais rico em água disponível para o consumo. Possui uns 13% de toda a água potável no mundo. E consumimos muita água, nestes tempos modernos. Para fazer uma folha de papel de impressora, são gastos 380 litros de água. Os moradores do hemisfério Norte consomem bem mais do que nós. Alguém disse que, se todas as pessoas do mundo consumissem como os norte-americanos, seriam necessários cinco planetas Terra. Seja como for, cálculos da ONU indicam que até 2050 mais de 45% da população mundial não terá acesso à água potável. Num contexto desses, chama a atenção o que Deus promete: “Eu os guia-rei e os levarei até as fontes de água” (Isaías 49.10).
O enfoque da IELB para 2014, dentro do tema geral “A Igreja comunica a Vida!”, gira em torno da água viva. Este é um tema que nos vem, especialmente, do Evangelho de João. Aparece, num primeiro momento, no diálogo de Jesus com a mulher samaritana, em João 4.10: “Se você soubesse o que Deus pode dar ... você pediria, e ele lhe daria a água da vida”. É significativo que esse texto faz parte da série de leituras para o culto neste ano (a série trienal A), estando assinalado para o terceiro domingo na Quaresma. A temática da água viva ou da água da vida volta em João 7.37-39, o texto assinalado para o domingo de Pentecostes: “Rios de água viva vão jorrar...”. Por fim, no texto de João 19.34, que integra a leitura do Evangelho para a sexta-feira santa (Jo 19.17-30), o tema como que ressurge, na referência ao sangue e à água que saíram do lado de Jesus.
Isto levanta a pergunta quanto ao significado e referente dessa “água viva”. Poderia ser Jesus? Embora ele diga, “Eu sou o pão da vida”, não chega a afirmar “Eu sou a água viva”. Para a mulher samaritana, afirma que ele dá essa água viva. É claro que logo se estabelece um mal entendido, pois a mulher samaritana só consegue pensar em “água corrente” (com certeza, muito melhor que água de poço). Jesus explica que a água que ele dá mata a sede para valer, mas a mulher continuou pensando em H2O.
Já percebemos que essa água é toda especial, é dada por Jesus, mas ainda não sabemos do que se trata. A resposta vem em João 7.37-39. Embora esse texto apresente dificuldades exegéticas – está em discussão se esse “interior” ou “coração” do qual jorram rios de água viva não poderia ser o de Jesus (veja a nota na Bíblia de Estudo NTLH) – está claro que Jesus continua sendo o doador dessa água (“venha a mim e beba” – Jo 7.37). Também é revelado o referente da água: com todas as letras, o evangelista diz que Jesus estava falando do Espírito Santo (Jo 7.39). Não admira que este seja o Evangelho do dia de Pentecostes!
Um texto bem mais complexo é João 19.34, que nos encontra na sexta-feira santa. Até cantamos, “água e sangue o lado teu na infamante cruz verteu”. Só que o texto bíblico traz a sequência “sangue e água”. Não é de hoje que se busca um significado simbólico para sangue e água, algo que vá além do simples líquido que saiu do lado de Jesus, aberto com a lança. Intérpretes antigos fizeram uma relação com batismo e santa ceia. No entanto, se quisermos insistir num sentido simbólico ou adicional (algo que o próprio evangelista autoriza, em várias outras passagens), à luz de João 7.39 (a vinda do Espírito como que condicionada à glorificação de Jesus, que, em João, ocorre na cruz), não é demais pensar, outra vez, na “água viva”, que é o Espírito Santo. Como alguém disse: “A morte de Jesus é a condição, agora preenchida, da vinda do Espírito, o doador da vida eterna”.


Para conferir o texto completo, acesse o site da IELB, ou o link: Temática IELB 2014