quarta-feira, 27 de março de 2013

Um traidor


Então Satanás entrou em Judas chamado Iscariotes, que era um dos doze discípulos. Judas foi falar com os chefes dos sacerdotes e com os oficiais da guarda do Templo para combinar a maneira como ele ia lhes entregar Jesus. Eles ficaram muito contentes prometeram dar dinheiro a ele. Judas aceitou” 
(Lc 22.3-6).

 
       O mal e as coisas más facilmente encontram apoio, companhia e reforço. Maus líderes e falsos mestres conseguem aliados sem gastar muito. Chefes e mestres procuravam “um jeito” para matar Jesus. De preferência sem muito tumulto, em segredo! Um traidor seria o máximo! E ele logo se apresentou. Lemos no evangelho de Lucas: “Eles ficaram muito contentes e prometeram dar dinheiro a ele. Judas aceitou.”
 
       Aquela “Semana Santa”, e também a nossa agora, revelam esse submundo de lixo, corrupção e envolvimento diabólico, na qual os homens caem, vive e se consomem. Uns fazem planos de morte e se alegram com a proposta de traição. Outros se degradam por qualquer troco e executam as ações mais infames. Todos eles “aceitam” ser manipulados pela ação astuciosa do tentador, o pai da mentira, o príncipe das trevas.
 
       Jesus estava sendo levado ao sacrifício, como uma ovelha muda ao matadouro. Mas os discípulos já tinham sido prevenidos. “Eu preciso sofrer muito e ser morto”, dissera-lhes Jesus várias vezes. Nós também temos conhecimento e consciência dos males que assolam a humanidade e dos pecados que se aninham, individualmente, no coração dos seres humanos. E também ouvimos e sabemos o que Jesus disse a respeito de si mesmo para nós: “Quem crê no Filho tem a vida eterna; porém quem desobedece ao Filho nunca terá a vida eterna, mas sofrerá para sempre o castigo de Deus” (Jo 3.35). Permaneçamos com a vida: creiamos em Cristo!
 
Oremos: Jesus, guarda-me das tentações, do pecado e de todo o mal. Purifica meu coração de todas as inclinações sujas e indignas. Santifica a minha vida. Amém.
 
Pastor Vili Redel

Retirado do site Hora Luterana